Canto Redondo

O que Van Gogh, Matisse, Ernest Hemingway, Picasso e Bruce Chatwin tinham sempre dentro do bolso? Todos eles carregavam pequenos cadernos de notas para registrar idéias, fazer esboços, estudos, rascunhos. A cadernetinha de anotações virou moda no fim do século XIX, teve seu período áureo na efervescente Paris da primeira metade do século passado e desapareceu por completo em 1986, junto com a última manufatureira, no interior da França.

Assim como o original Francês do século XIX, o CANTO REDONDO, passa por 21 processos de produção, sendo 65% deles, artesanal.

A PARANOID faz a montagem virtual para ser apresentada ao cliente CANTO REDONDO e é responsável também pela finalização e fechamento dos arquivos a serem produzidos.


Visite o site:

www.cantoredondo.com.br